quarta-feira, 29 de fevereiro de 2012

Fenprof considera absurdo que professores tenham de se recandidatar a três distritos

A Federação Nacional dos Professores (Fenprof) considerou nesta segunda-feira “absurdo” que um professor que queira mudar de escola tenha de se candidatar a três distritos, como afirma que o Governo propõe no novo regulamento de recrutamento.

Em declarações aos jornalistas após uma reunião no Ministério da Educação, o coordenador da Fenprof, Mário Nogueira, afirmou aos jornalistas que “um professor que esteja colocado em Olhão e queira mudar para Tavira pode acabar por ser colocado em Santiago do Cacém”.

“Tem que se candidatar a três quadros de zona pedagógica (QZP) e isto é mais grave quando é um destacamento por aproximação à residência ou destacamento por doença, todos os candidatos estão obrigados a pôr três QZP”, indicou o sindicalista.

No caso dos contratados, indicou, correm o risco de ser colocados “a trezentos quilómetros de casa para terem um horário de seis horas” - em que ganham abaixo do salário mínimo -, que não podem recusar porque serão excluídos dos concursos.

O secretário de Estado do Ensino e Administração Escolar afirmou que esta regra é para “professores contratados” e que haverá um conjunto de horários entre seis e 21 horas semanais para se candidatarem.

“Em função da distância, os professores concorrerão ao horário que mais lhes convier: podem ter um horário mais reduzido perto de casa e um mais alargado a uma distância superior”, afirmou o governante em declarações aos jornalistas.

Relativamente a outra disposição da proposta de regulamento, João Casanova de Almeida negou que algum professor que estava incluído no escalão de primeira prioridade nos concursos seja “preterido” por passarem também a estar nesta prioridade os docentes que dão aulas em estabelecimentos privados, com contrato de associação com o Estado.

“Ninguém ultrapassa ninguém, a primeira prioridade contempla a maioria dos horários atribuídos”, garantiu o secretário de Estado, que salientou que “estas escolas [privadas] estão a prestar um serviço público”.

Mário Nogueira criticou que, ao mesmo tempo que os professores das privadas passam à primeira prioridade, dela saiam “professores de escolas públicas de outros ministérios”, como os das escolas de português no estrangeiro ou escolas profissionais públicas.

“Isto não tem sentido, a não ser que se esteja a fazer um frete ao ensino privado”, afirmou Mário Nogueira, acrescentando que, no sector privado, “o patrão continua a convidar quem quer e depois despeja para o sistema público os que já não quer”.

A Fenprof reclamou também novamente a realização de um concurso para preenchimento de quadros este ano, apontando os mais de 20 mil lugares que vagaram no quadro do sector público de ensino desde 2006, em contraponto com as cerca de 400 admissões.

“As escolas estão com um quadro docente extremamente instável. Na sua maioria, os professores são contratados”, frisou.

João Casanova de Almeida declarou que “o concurso nacional de abertura de quadros realiza-se de quatro em quatro anos e o próximo é em 2013”.

O secretário de Estado afirmou que, até lá, o método é “grupo a grupo, perceber as necessidades do sistema”.

domingo, 26 de fevereiro de 2012

Português

• Parêntesis é o gráu da família que existe entre os pais e filhos, tios e sobrinhos, avós e netos, primos e primas, etc;

• Preposição, conforme diz a palavra pela sua própria entomologia, é aquela que é colocada antes da outra que é mais importante;

• Conjunção é a grafia que se usa quando se quer conjugar um verbo;

• Sujeito é a pessoa com quem a gente fala;

• Concordância é quando nós estamos de acordo com o que o outro disse.

sábado, 25 de fevereiro de 2012

Violência escolar: Empresa ensina professores a defenderem-se

A insegurança e casos de violência em contexto escolar motivaram os responsáveis de uma empresa do Porto a criar um curso de segurança pessoal para professores que se realizou este sábado com a participação de quase duas dezenas de docentes.
A maioria dos participantes são professores em escolas do Ensino Básico e Secundário e alguns já passaram por situações "desagradáveis" na sala de aula.
Professora há 14 anos, de inglês/alemão, Isabel Almeida contou à agência Lusa que os problemas começaram logo no início da carreira. "Eu era novinha e baixinha, eles eram adolescente, revoltados e estavam na escola contrariados. Foi muito difícil", admitiu, referindo que "as asneiras e os insultos" eram e são as situações mais frequentes com que depara na sala de aulas. Nunca foi agredida fisicamente, mas esteve "muito perto".
"Senti que [o aluno] estava prestes a pegar numa cadeira para me atirar. A minha tendência foi afastar-me, mas eu não podia fugir da sala de aula, tinha mais 20 alunos ali. Sabia que tinha de fazer qualquer coisa para tentar acalmá-lo, mas fiquei indecisa, sem saber o que fazer", admitiu.
Assim, quando teve conhecimento de um curso de defesa pessoal para professores, não hesitou. Como ela chegaram à SMD (Sistema Marcial de Defesa) outros colegas, uns já com histórias idênticas para contar, outros apenas para saber como agir perante uma eventual situação de violência, seja na escola ou no dia-a-dia.
A postura corporal, de autoconfiança e de autoridade, frases curtas e sem margem para discussões. São conceitos que os formadores (todos elementos de unidades especiais de forças policiais) não se cansam de repetir, ao longo da formação.
Da teoria passou-se à prática e os professores foram chamados a recriar situações de confronto, uns no papel de alunos indisciplinados, os outros na sua função habitual.
Os formadores Ricardo Lisboa, fundador do SMD, Nuno Horta e Hélder Pinto, vão ensinando os "truques simples, mas eficazes" que os docentes podem usar quando confrontados com situações "menos agradáveis". Os três responsáveis ministraram já acções idênticas para profissionais de saúde e programam para breve uma outra para jornalistas.

Correspondência entre Encarregados de Educação e Professores

quinta-feira, 23 de fevereiro de 2012

O aluno mais velho a concluir o ensino básico nas Novas Oportunidades recebe hoje diploma

João Vieira é ribatejano, tem 91 anos e uma vida dedicada ao campo e à escrita. Diz que é com os outros que mais se aprende.

João Vieira considera que "nunca é tarde para aprender". A vontade de aprender e o gosto pela conversa levaram-no a inscrever-se no Centro Novas Oportunidades (CNO). Aos 91 anos terminou o 9.º ano e recebe hoje o seu certificado na Escola Profissional de Salvaterra de Magos. É o aluno mais velho no programa Novas Oportunidades a concluir o ensino básico. Em Janeiro, a Câmara de Grândola anunciou que uma senhora com 97 anos, dona Vitalina, ingressou no programa para concluir o 6.º ano.

Foi um neto quem o incentivou a frequentar as aulas. João "Sabino", como é conhecido na vila de Benavente (onde reside há 52 anos), foi, gostou, e por ali ficou. Inscreveu-se há um ano com o objectivo de completar o ensino básico através do processo de Reconhecimento, Validação e Certificação de Competências (RVCC).

Reconhece que na escola "não se ensina a viver" e que a aprendizagem só acontece "falando com as pessoas". É o contacto com os mais jovens o que mais o cativa nas aulas: "Os conhecimentos têm de ser transmitidos de uns para os outros, de geração para geração".

João "Sabino" Vieira admite que aprendeu muito com o curso, mas que "é preciso vontade" para ir estudar com a sua idade. "Querer é poder, sem esforço não se obtém nada", afirma este ribatejano que gosta do convívio e da leitura. "Leio muito, leio livros onde possa reforçar capacidades", diz.

Recomeçou os estudos tarde - tinha 34 anos quando concluiu o 3.º ano de escolaridade -, mas o gosto pelas letras levou-o a escrever cinco livros, quatro de poemas e uma autobiografia intitulada A minha história: o que eu vivi a partir dos sete anos de idade.

Homem do campo, desde os 14 anos que trabalha a terra - até há cerca de quatro anos, altura em que parou. Durante 38 anos foi director de Serviços Agrícolas no Fomento da Indústria e do Tomate. Conta que, nos anos 1970, inventou uma máquina de semear tomate e chegou a ser um dos maiores produtores europeus de tomate. Apesar de se sentir "feliz" pelo facto de a sua ideia ter tido sucesso além-fronteiras, "Sabino" reclama que a máquina não foi vendida, mas copiada: "Os italianos é que deram por mim, mas copiaram a ideia".

Natural de Muge, freguesia no concelho ribatejano de Salvaterra de Magos, com quase 92 anos de experiência de vida, entre os trabalhos no campo, o contacto com a literatura e com a música - toca trompete e compõe -, João "Sabino" deixa um recado para os mais jovens: "As coisas não vêm ter à nossa mão, não se conseguem sem luta".

O director do CNO de Salvaterra de Magos, Mário Gonçalves, refere que todos os anos o centro recebe cerca de 1000 inscritos, sendo que apenas 300 - entre ensino básico e secundário - chegam a concluir o programa. O responsável sublinha ainda que, entre os alunos que foram certificados pelo CNO, há "vários que estão a acabar um curso no ensino superior e outros que melhoraram as suas competências".

segunda-feira, 20 de fevereiro de 2012

“Concurso deve ser já”


Mário Nogueira, Secretário-geral da Fenprof, sobre proposta do Governo de novo regime de concursos de professores

CM - O que lhe parece a proposta do Governo?
Mário Nogueira - Ainda temos de analisar melhor. Mas queremos primeiro perceber se esta pressa do Governo em apresentar o documento significa que vai haver concurso para lugares de quadro este ano.

- O actual regime prevê que o concurso ocorra a cada quatro anos e esta proposta nada altera, pelo que o próximo concurso deve manter-se em 2013.
- A proposta diz que o concurso será quadrienal mas nada impede que comece já este ano. Queremos concurso já em 2012, é a grande prioridade e foi um compromisso do anterior Governo. Mas é preciso que haja vagas, porque em 2009 só houve 396.

- Porque é essa a prioridade?
- As escolas precisam do concurso, porque desde 2006 reformaram-se 23 mil professores que foram substituídos por precários e só entraram os tais 396 para os quadros. Este ano lectivo houve 12 a 15 mil lugares que correspondem a necessidades permanentes e foram ocupados por contratados.

- O que lhe parecem os outros aspectos da proposta?
- É negativo que não preveja um regime de vinculação para contratados, alguns com 15 anos de serviço, quando no privado ao fim de três anos, no limite seis, entra-se nos quadros.

domingo, 19 de fevereiro de 2012

Respostas dos Alunos

Geografia

• A capital de Portugal é Luiz Boa;

• O principal rio nos Estados Unidos é o Mininici;

• A Geografia Humana estuda o homem em que vivemos;

• Na América Central há países como a República do Minicana;

• A Terra é um dos planetas mais conhecidos no mundo;

• As constelações servem para esclarecer a noite;

• As principais cidades da América do Norte são Argentina e Estados Unidos;

sábado, 18 de fevereiro de 2012

Condenado por assediar alunas

Um professor acusado de assediar sexualmente três alunas de uma escola em Seia foi condenado na pena de quatro anos e meio de cadeia, suspensa, e inibido de dar aulas a crianças durante dez anos.
Os juízes do Tribunal de Seia consideraram provados, na generalidade, os factos de que o docente da Escola Dr. Guilherme Correia Carvalho era acusado. Professor de Educação Visual, o arguido, de 55 anos, foi julgado por ter enviado links com conteúdos pornográficos a três alunas, então com 12 e 13 anos. A mãe de uma das menores denunciou a situação à Comissão de Protecção de Crianças e Jovens em Risco e o caso foi investigado pela PJ da Guarda.
Os factos que estão em causa no processo ocorreram durante o ano lectivo de 2009/2010. As mensagens de cariz sexual enviadas às menores incluíam sobretudo links para vídeos pornográficos.
Quando o caso foi denunciado, a direcção do Agrupamento de Escolas notificou o docente para entregar o equipamento informático e vedou-lhe o acesso à internet na escola. Durante as investigações foram-lhe apreendidos dois computadores. O colectivo de juízes condenou-o, mas o seu advogado já anunciou a intenção de recorrer do acórdão.

Respostas dos Alunos

Ciências

• Ecologia é o estudo dos ecos, isto é, da ida e vinda dos sons;

• Solo é quando numa orquestra um dos músicos "capricha" sozinho e os outros ficam à escuta;

• Assexuada é a pessoa que não está nem do lado de cá nem do lado de lá;

• Trompa de Eustáquio é o instrumento musical de sopro, inventado pelo grande músico belga Eustáquio, de Bruxelas;

• Newton foi um grande ginecologista e obstetra europeu que regulamentou a lei da gravidez e estudou os ciclos de Ogino-Knaus;

quinta-feira, 16 de fevereiro de 2012

Concursos 2012


Link: Concursos 2012

quarta-feira, 15 de fevereiro de 2012

SEMANA EUROPEIA ESKILLS WEEK 2012

Promovida pela Direção Geral das Empresas e da Indústria, da Comissão Europeia, e coordenado pela Digitaleurope e pela European Schoolnet, vai realizar-se a Semana EuropeiaeSkills Week2012, entre 26 e 30 de março de 2012. Esta iniciativa tem como objetivo apoiar a Europa e, mais concretamente, os jovens europeus a agarrar as oportunidades de emprego geradas pelas tecnologias digitais (http://eskills-week.ec.europa.eu).

O trabalho de preparação da Semana Europeia 2012 teve início em dezembro de 2011 e as atividades prolongar-se-ão até maio de 2012. As opções para a educação, a formação profissional e as oportunidades de emprego e de crescimento terão um papel central e demonstrarão a razão pela qual as TIC são tão importantes na criação de novos empregos.

Em Portugal, o Contacto Nacional é a Direção Geral da Educação (DGE). À DGE compete coordenar e promover as atividades nacionais levadas a cabo nessa semana e ainda articular com os vários parceiros envolvidos. Esta missão está a ser realizada em estreita colaboração com a UMIC, Agência Nacional para a Sociedade do Conhecimento, entidade parceira nesta iniciativa em Portugal, e Delegada nacional ao Comité de Gestão daseSkillsna Direção-Geral das Empresas e da Indústria, da Comissão Europeia.

Esta iniciativa envolve parceiros de várias áreas. Os parceiros da indústria - nomeadamente, empresas ligadas às tecnologias de informação e comunicação e inúmeras outras pequenas e médias empresas de todas as áreas de atividade, de toda a Europa - em parceria com organismos ligados à juventude e educação e outras entidades públicas criarão um programa ambicioso e diversificado de eventos e atividades em mais de 30 países europeus. Os Ministérios da Educação estão sensíveis à importância das TIC e têm como desiderato proporcionar um leque de opções apelativo para as pessoas que estão à procura de trabalho e para os jovens que desejam saber que opções de carreira lhes estão abertas.

Em março de 2010, a primeira Semana EuropeiaeSkillsincluiu centenas de eventos e atividades que promoveram, junto de 65 milhões de cidadãos de 35 países europeus, a importância de se adquiriremeSkills, tanto para o mundo do emprego como para a vida quotidiana.

Para mais informações sobre como participar ativamente nesta iniciativa, contactar: eskills@dgidc.min-edu.pt

segunda-feira, 13 de fevereiro de 2012

Contratados sem subsídios

Uma nota informativa enviada às escolas, pelo Gabinete de Gestão Financeira do Ministério da Educação e Ciência, está a gerar controvérsia. A nota esclarece que o pessoal que terminou contrato até 31 de Dezembro de 2011 "tem direito ao subsídio de férias relativo ao período em que exerceu funções em 2011". Quem terminou contrato a 1 de Janeiro de 2012, ou após esta data, "fica abrangido pela suspensão do pagamento dos subsídios de Férias e Natal".
Para Mário Nogueira, secretário--geral da Fenprof, é uma situação de "desigualdade, ilegalidade e de constitucionalidade duvidosa". "Para trabalho realizado no mesmo período, uns recebem, outros não. Penaliza-se quem trabalhou mais". E exemplifica: "um professor contratado em Setembro, cujo contrato acabou a 29 de Dezembro, tem direito a quatro duodécimos do subsídio de férias. Quem terminou contrato a 2 de Janeiro, nada recebe". Nogueira frisa que está apenas em causa o subsídio de Férias, porque o de Natal já foi pago. "O subsídio de Férias é constituído entre Setembro de um ano e Agosto do seguinte". Podem ser afectados "milhares de professores, a começar pelos 15 mil com contratos anuais". O MEC não prestou esclarecimentos.

domingo, 12 de fevereiro de 2012

sábado, 11 de fevereiro de 2012

Respostas dos Alunos

Ciências

• Ecologia é o estudo dos ecos, isto é, da ida e vinda dos sons;

• Solo é quando numa orquestra um dos músicos "capricha" sozinho e os outros ficam à escuta;

• Assexuada é a pessoa que não está nem do lado de cá nem do lado de lá;

• Trompa de Eustáquio é o instrumento musical de sopro, inventado pelo grande músico belga Eustáquio, de Bruxelas;

• Newton foi um grande ginecologista e obstetra europeu que regulamentou a lei da gravidez e estudou os ciclos de Ogino-Knaus;

sexta-feira, 10 de fevereiro de 2012

Mais de 50% dos portugueses entre os 25 e 34 anos sem 12.º ano

Mais de metade dos portugueses entre os 25 e os 34 anos não completaram o ensino secundário, valor apenas superado pela Turquia e México entre os países da OCDE, revela um relatório divulgado esta quinta-feira.
Segundo o estudo "Equidade e Qualidade em Educação - apoiar estudantes e escolas desfavorecidas", que se reporta a indicadores de 2009, os jovens portugueses com idades compreendidas entre os 25 e os 34 anos que não completaram o ensino secundário estão bastante acima da média da Organização para a Cooperação e Desenvolvimento (OCDE), ainda assim na ordem dos 20 por cento.
A disparidade de valores entre os países membros da OCDE é bastante grande, com a Coreia do Sul a registar a percentagem mais elevada de jovens que até aos 34 anos concluíram o ensino secundário (apenas três por cento não o fez).
Considerando a mesma faixa etária, a Turquia e México superam Portugal com 62 por cento dos jovens que têm apenas o ensino básico.
Fora do universo dos países da OCDE, Portugal é ainda ultrapassado pelo Brasil e Federação Russa, países ondem respectivamente, 52 por cento e 91 por cento dos jovens com idades entre os 25 e os 34 anos não concluíram o ensino secundário.
Da população entre os 25 aos 64 anos, Portugal assume a liderança pela negativa no universo da OCDE, uma vez que 70 por cento dos portugueses não completou o 12.º ano.
Neste caso, a percentagem de Portugal é apenas superada pelo da Federação Russa, com 89 por cento das pessoas entre os 25 e os 64 anos sem habilitações ao nível do secundário, quando a média dos países da OCDE é de cerca de 30 por cento.
Por outro lado, Portugal apresenta das maiores taxas de empregabilidade na população dos 25 aos 64 anos que não terminou o liceu, com cerca de 70 por cento, à semelhança da Nova Zelândia e do Brasil, quando a média da OCDE neste indicador se situa nos 54 por cento.
O documento da OCDE, cujos indicadores se referem a 35 países dentro e fora da OCDE, indica também que um em cada cinco estudantes dos países da OCDE não atinge o nível mínimo de capacidades para 'funcionar' nas sociedades actuais, sendo que, nalguns países, a proporção de alunos com 15 anos sem capacidades básicas de literacia ultrapassa os 25 por cento.
O relatório sublinha ainda a influência do ambiente socioeconómico no sucesso escolar dos estudantes e sugere que os governos eliminem as práticas do sistema que afetam a equidade e erradiquem o mau desempenho das escolas com alunos desfavorecidos.

segunda-feira, 6 de fevereiro de 2012

Carnaval: Escolas abertas, mas sem alunos e com menos funcionários

O fim da tolerância de ponto do Carnaval levará as escolas públicas a abrirem as portas, mas não haverá alunos nem actividades lectivas e os funcionários deverão ser menos do que o habitual, disse à agência Lusa o presidente da ANDAEP.
O presidente da Associação Nacional de Directores de Agrupamentos e Escolas Públicas (ANDAEP), Adalmiro Botelho da Fonseca, começou por afirmar que o facto de o Governo não ter atribuído este ano a tradicional tolerância de ponto no dia de Carnaval "não vai ter grande influência nas escolas". Isto porque, explicou, já estava prevista uma interrupção lectiva prevista para o período do Carnaval. Adalmiro Botelho da Fonseca disse que "as escolas estarão sem actividades lectivas e não haverá alunos nem horários rígidos a cumprir".
No entanto, "as escolas terão que estar abertas, terá que haver funcionários, pois a portaria e a secretaria terão que funcionar", salientou o presidente da ANDAEP. Até porque, explicou, há zonas do País em que, durante estas pausas lectivas, as escolas costumam receber os "alunos que não têm condições para estar em casa".
Contactada pela Lusa, fonte oficial do Ministério da Educação afirmou que se mantém o calendário escolar definido em Agosto com pausa lectiva entre 20 e 22 de Fevereiro, acrescentando que caberá às escolas organizarem e definirem a forma como vão funcionar no dia de Carnaval.
O secretário-geral da Federação Nacional da Educação (FNE), João Dias da Silva, disse que "as escolas deverão estar abertas mas sem alunos, como aliás já acontecia nos restantes dias da interrupção do Carnaval (segunda-feira e quarta-feira) ".
O secretário-geral da FENPROF explicou que esta interrupção "acontece porque o segundo período lectivo é muito grande e esta pausa de três dias acontece mais ou menos a meio, como forma de descanso dos próprios alunos". Quanto aos professores, Mário Nogueira disse que, "muitas vezes, nesta altura, tirando o próprio dia [de Carnaval], já estavam em reuniões intercalares", pelo que a situação não se vai alterar muito.

domingo, 5 de fevereiro de 2012

Respostas dos Alunos em Testes

Exames - 2ª Fase

• A febre amarela foi trazida da China por Marco Polo;

• Os ruminantes distinguem-se dos outros animais porque o que comem, comem duas vezes;

• O coração é o único órgão que não deixa de funcionar 24 horas por dia;

• A arquitectura gótica notabilizou-se por fazer edifícios verticais;

• A diferença entre o Romantismo e o Realismo é que os românticos escrevem romances e os realistas nos mostram como está a situação do país;

• As múmias tinham um profundo conhecimento de anatomia;

• Na Grécia a democracia funcionavam muito bem porque os que não estavam de acordo envenenavam-se;

• As plantas distinguem-se dos animais por só respirarem à noite;

• Os estuários e os deltas foram os primitivos habitantes da Mesopotâmia;

• A caixa de previdência assegura o direito à enfermidade colectiva;

• A respiração anaeróbica é a respiração sem ar que não deve passar de três minutos;

• Calor é a quantidade de calorias armazenadas numa unidade de tempo;

• Antes de ser criada a Justiça, o mundo era injusto.

sábado, 4 de fevereiro de 2012

Respostas dos Alunos em Testes

Com os exames nacionais do 9º e do 12º

• Lavoisier foi guilhotinado por ter inventado o oxigénio;

• O nervo óptico transmite ideias luminosas ao cérebro;

• O vento é uma imensa quantidade de ar;

• Terramoto é um pequeno movimento de terras não cultivadas;

• Os antigos egípcios desenvolveram a arte funerária para que os mortos pudessem viver melhor;

• Péricles foi o principal ditador da democracia grega;

• O problema fundamental do terceiro mundo é a superabundância de necessidades;

• O petróleo apareceu há muitos séculos, numa época em que os peixes se afogavam dentro de água;

• A principal função da raíz é enterrar-se;

• O sol dá-nos luz, calor e turistas;

• As aves têm na boca um dente chamado bico;

• A unidade de força é o Newton, que significa a força que se tem de realizar num metro da unidade de tempo, no sentido contrário.

sexta-feira, 3 de fevereiro de 2012

Bloco de Esquerda questiona Governo sobre fecho de escola na Parede

O grupo parlamentar do Bloco de Esquerda (BE) questionou o ministro da Educação, Nuno Crato, no Parlamento, sobre o eventual encerramento da Escola Básica de Santo António, na freguesia da Parede, em Cascais. Segundo o BE, o fecho da escola está a ser “ponderado”. A Câmara de Cascais disse que “não está a par desta eventual intenção”.

A Escola Básica de Santo António é a sede do Agrupamento de Escolas de Santo António, que tem três jardins-de-infância e cinco escolas primárias, servindo um total de 1500 alunos. Segundo o BE, os pais dos alunos estão preocupados com o futuro da escola, já que a hipótese de encerramento foi levantada numa reunião com os órgãos directivos do estabelecimento.

Diz o BE que o anterior governo se tinha comprometido com uma intervenção de fundo na escola, que foi construída há 40 anos e mantém as mesmas instalações, “altamente precárias”. Na pergunta entregue no Parlamento e assinada pela deputada Ana Drago, o BE refere que as obras não avançaram porque houve negociações falhadas entre o anterior ministério da Educação e a autarquia sobre a verba a transferir.

A falta de acordo “levou a Câmara de Cascais a pedir à escola que disponibilizasse também alguma verba, o que a escola não podia suportar”, diz o BE. O presidente da Câmara, Carlos Carreiras (PSD) diz, porém, que esta informação é falsa e acrescenta que "tem planos para melhorar substancialmente as condições de alunos e de professores que se encontram actualmente numa escola bastante deteriorada”.

O BE afirma ainda que “na iminência de uma intervenção de fundo”, a escola retirou há dois anos um campo de relva sintética que gerava receitas próprias, para a instalação dos estaleiros. Por outro lado, “a escola não foi incluída na rede do Plano Tecnológico da Educação, ficando a actualização do equipamento muito aquém do necessário”, diz o BE, acrescentando que só agora estão a ser instalados novos computadores após um requerimento da escola à Direcção Regional de Educação de Lisboa e Vale do Tejo.

Além disso, o grupo parlamentar levanta a questão da localização “privilegiada” dos terrenos onde a escola está construída, temendo que sejam vendidos para projectos imobiliários. Carlos Carreiras diz que ainda não recebeu qualquer manifestação de interesse para a compra dos terrenos. E sublinha que a autarquia “tem feito um grande esforço de modernização do parque escolar “ com intervenções em 80% das escolas do concelho, o que se traduziu num investimento de 17 milhões de euros desde 2005.

“Acresce a isto o facto de, ainda esta semana, ter sido noticiado mais um pacote de investimento de 7,7 milhões de euros de investimento em escolas do primeiro e segundo ciclo beneficiando mais de 850 alunos do concelho”, refere o autarca.

quarta-feira, 1 de fevereiro de 2012

V.N.Gaia: Professor de matemática agredido

Um professor de matemática de 63 anos, que expulsou uma aluna da sala de aula por estar a perturbar a lição, foi agredido à frente da escola por alegados familiares da estudante do 6.º ano, disseram esta quarta-feira fontes oficiais.
Fonte do Hospital de Vila Nova de Gaia, para onde o professor agredido a murros e pontapés foi transportado, adiantou à agência Lusa que a vítima deu entrada nas urgências daquela unidade hospitalar pelas 14h30 de terça-feira e teve "alta médica pelas 18h07 do mesmo dia.
O professor de matemática Mário J. S., de 63 anos, foi "agredido ao início da tarde de terça-feira quando se preparava para entrar no estabelecimento de ensino, alegadamente por familiares de uma aluna sua", conta o bombeiro José Pereira, que esteve no local da ocorrência.
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...

Mensagens populares

Recomendamos