quinta-feira, 17 de dezembro de 2009

Relatório Internacional


Este estudo, realizado pela Data Angel, apresenta uma perspectiva não técnica do modo como os economistas encaram a literacia, considerada como um importante motor do crescimento económico e do desenvolvimento social equilibrado dos países.

As mudanças recentemente ocorridas na estrutura da economia mundial aumentaram significativamente a necessidade de uma população com competências de literacia, o que pressupõe um investimento elevado e sustentado nesta área.

Segundo o referido estudo, Portugal tem de desenvolver medidas para aumentar os níveis de literacia dos cidadãos, nomeadamente dos adultos, para manter a sua competitividade nos mercados europeu e mundial.

Entre as opções políticas consideradas determinantes para o aumento das competências de literacia no nosso país, o relatório destaca o alargamento da educação pré-escolar a todas as crianças de quatro e cinco anos e o Plano Nacional de Leitura (PNL), que dá especial importância à leitura diária com as crianças do pré-escolar e dos primeiros seis anos de escolaridade.

Encarado como um elemento crucial no esforço nacional para melhorar a oferta de competências de literacia no país, o PNL deve beneficiar, de acordo com o referido relatório, de apoio político e financeiro sustentado para que possa vir a ter um impacto significativo na melhoria das competências de literacia dos portugueses.

Para além do alargamento do tempo dedicado a tarefas de leitura nos primeiros anos de escolaridade, os peritos vêem como fundamental melhorar a prática pedagógica dos professores no que respeita à literacia.

Neste sentido, é importante desenvolver um conjunto mais amplo de instrumentos para o diagnóstico precoce de dificuldades de leitura dos alunos, definindo, simultaneamente, estratégias de intervenção para ultrapassar as dificuldades identificadas.

Um pilar considerado decisivo, pelos autores do estudo, para aumentar as competências de literacia em Portugal é o desenvolvimento da iniciativa Novas Oportunidades, destinada aos jovens em risco de abandonar o sistema educativo e aos adultos que necessitam de complementar a sua formação.

Assim, se a conclusão do ensino secundário é vista como um indicador determinante que maximiza a probabilidade de os estudantes atingirem um patamar mais elevado ao nível da literacia, o investimento na literacia dos adultos é baseado num argumento de ordem económica, na medida em que se reflecte na melhoria das condições no que respeita ao emprego, ao nível de vida e de saúde dos cidadãos.

Sem a aposta na melhoria da literacia dos adultos, a eficácia do PNL corre o risco de diminuir, já que as crianças que vivem em agregados familiares caracterizados por baixos níveis de escolaridade dos pais e pouca prática de leitura são menos receptivas aos incentivos criados pelo PNL.

De acordo com o relatório, o maior enfoque em programas de literacia dirigidos às famílias tem o potencial de melhorar, ao mesmo tempo, os níveis de competências de literacia de ambas as gerações.

Este estudo valoriza as reformas educativas em curso em Portugal, em particular o PNL, com o argumento de que este investimento se vai reflectir na capacidade de a economia criar riqueza, impedindo que, pelo contrário, o défice de literacia gere níveis indesejáveis de desigualdades com consequências negativas a nível social e económico.


Para mais informações, consultar:




Sem comentários:

Enviar um comentário

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...

Mensagens populares

Recomendamos