sábado, 30 de maio de 2009

Ferramenta que descobre os trabalhos copiados da net

O Approbo é uma nova aplicação gratuita que permite detectar plágios em trabalhos académicos. Se alguma frase ou parágrafo de um documento entregue por um aluno constar de alguma página web, este software denuncia imediatamente o plagiador.

O funcionamento da aplicação é simples: basta descarregar o Approbo da net, submete-se o documento que se pretende escrutinar e, com um click, em poucos segundos, fica a saber-se se o conteúdo do documento está online – seja em formato Microsoft Office, Adobe Reader ou OpenOffice – e onde é que está.

A aplicação disponibiliza ambos os textos – o original e a cópia – no ecrã, para que seja possível perceber a extensão do plágio. A ferramenta utiliza motores de busca para encontrar os pontos de coincidência com o texto original. A partir desse ponto, o Approbo verifica – palavra por palavra – todo o arquivo e mostra-o de forma gráfica, simplificando o trabalho ao utilizador. Quando se trabalha com documentos de grandes dimensões – teses de doutoramento, por exemplo – o processo poderá demorar um pouco mais a apresentar resultados, nunca passando, porém, dos dois minutos, garantem os seus criadores.

“Tentámos desenvolver uma ferramenta simples, intuitiva e que possa ser usada por qualquer pessoa”, assinalou o director-geral da empresa que desenvolveu o software, a Symmetric, de Barcelona, citado pelo elmundo.es

O Approbo é totalmente gratuito, tendo sido financiado pelo Citilab, um portal de educação online que, por sua vez, recebe financiamento de várias administrações públicas.

Esta ferramenta foi idealizada a pensar na comunidade docente, que frequentemente lida com casos de plágio descarado. O Approbo poderá agora ajudar a combater este problema de forma mais consistente. “Desenvolvemos este software sobretudo para o contexto educativo”, explica o responsável da Symmetric, Josep Lluís Manso, citado pelo elmundo.es, acrescentando que “com a Internet, lidamos diariamente com fenómenos de copy-paste e, para isso, precisamos de ferramentas”. “Estamos a favor de que os documentos, quando são bons, se copiem... A única coisa que dizemos é que se citem as fontes”, sublinhou.

sexta-feira, 29 de maio de 2009

Proibidos decotes e saias curtas

Alunos, professores e funcionários da Escola Básica dos 2º e 3º Ciclos José Maria dos Santos, no Pinhal Novo (Palmela), estão proibidos de vestir tops com decotes pronunciados, minissaias muito curtas e calças descaídas. Natividade de Azeredo, presidente do Conselho Executivo (CE), confirmou as regras, explicando tratar-se de uma emenda ao regulamento interno da escola, resultado de situações verificadas na sala de aula.

'Um professor sentiu-se incomodado por conseguir ver as cuequinhas de uma menina, devido à minissaia muito curta que ela trazia vestida', explicou Natividade de Azeredo, revelando outra situação: 'Foi um rapaz, por volta do Euro’2004, que entrou na sala pintado da cabeça aos pés. No primeiro caso falámos com a aluna e nunca mais se repetiu. No segundo, o pai veio cá, explicámos o que se passava e resolveu-se o problema'. Após estas situações foi acrescentada a alínea b) ao artigo 19º do Regulamento Interno, referente aos deveres do aluno. 'Apresentar um aspecto asseado e limpo, vestindo-se de forma adequada ao espaço sala de aula', pode ler-se no documento.

Posteriormente à alteração do regulamento, esclarece Natividade de Azeredo, 'houve a necessidade de entregar a uma ‘t-shirt' a uma aluna porque trazia um top de alças extremamente decotado o que não era próprio'. 'Essa menina, no 9º ano, chamou a mãe à escola e esta não se mostrou muito receptiva, mas depois de apresentarmos os nossos argumentos lá acabou por dizer que a filha não trazia mais aquele top vestido', disse.

Fonte denunciou o caso de uma professora que fora obrigada a regressar a casa para mudar de roupa, tudo porque trazia vestidos uns calções compridos do tipo corsários. Natividade de Azeredo, confrontada com a situação, nega de forma peremptória, mas sempre adiantou que 'quando for necessário intervir com um professor também o farei'. 'Os meus colegas professores sabem o que está no regulamento e têm uma imagem a passar aos alunos. Temos de dar o exemplo. O que vestem fora da escola, não me diz respeito', acrescentou.

Mais recentemente, no refeitório, a própria presidente do CE presenciou outra situação: 'Olhei e vi os boxers laranja de um rapaz, porque as calças estavam muito descaídas. Falei com ele e a situação resolveu-se. Enquanto cá estiver irei transmitir aos meus alunos valores e princípios'. n


O CM noticiou a 10 de Abril que a Loja do Cidadão de Faro estabeleceu uma série de normas sobre a indumentária das suas funcionárias. Ficou assim estipulada a proibição do uso de saias curtas, blusas decotadas, gangas, saltos altos, sapatilhas, roupa interior escura e também de perfumes com cheiro agressivo.

A lista de proibições foi comunicada às trabalhadoras durante uma acção de formação promovida pela Agência de Modernização Administrativa. Maria Pulquéria Lúcia, vogal do Conselho Directivo da Agência de Modernização Administrativa, confirmou na altura que 'esses aspectos de postura pessoal foram abordados por serem importantes para uma imagem cuidada que se privilegia e que tornará o contacto com o cidadão mais agradável'. A minissaia foi inventada pela estilista britânica Mary Quant nos anos 60 do século XX. O sucesso foi tal que em poucos anos Quant abriu 150 filiais da sua boutique Bazaar em Inglaterra. Em 1966, a estilista recebeu a Ordem do Império Britânico. O número do artigo do regulamento interno da escola José Maria dos Santos, no Pinhal Novo, que regula os direitos e deveres dos alunos. Ano em que as alterações ao regulamento foram aprovadas em assembleia de escola, para o ano lectivo 2004/2005. No estado do Arizona, nos EUA, uma escola proibiu abraços e beijos com mais de dois segundos de duração.

André Pereira / B.E

quinta-feira, 28 de maio de 2009

quarta-feira, 27 de maio de 2009

JS não abdica de distribuição de preservativos nas escolas secundárias

A distribuição de contraceptivos nas escolas secundárias é o ponto mais polémico do projecto de lei sobre educação sexual em discussão no Parlamento: a direita quer eliminá-lo ou condicioná-lo, uma boa parte dos deputados do PS, partido autor da proposta, também. Quem não abdica dele é, pelo menos, a Juventude Socialista (JS), mas admite rever a sua redacção.

“Com o número de gravidezes na adolescência que temos, não disponibilizar preservativos nas escolas, que é onde estão os jovens, é fugir ao problema”, invoca Duarte Cordeiro, líder da JS e um dos principais autores do diploma.

Em causa está o artigo do projecto que prevê a existência de um gabinete de informação e apoio no âmbito da educação para a saúde e a educação sexual, que deve funcionar três horas por semana e onde, no ensino secundário, se prevê a distribuição gratuita de métodos contraceptivos não sujeitos a receita médica. Uma formulação que abrange preservativos, pílulas anticoncepcionais e pílulas do dia seguinte, embora estas tenham sido já excluídas pelos autores da lei, por não se considerar que seja propriamente um contraceptivo. 

“A nossa principal preocupação é o preservativo, masculino e feminino, porque é o que responde a um maior tipo de problemas”, explica Duarte Cordeiro, referindo-se à prevenção da gravidez e de doenças sexualmente transmissíveis. “Gasta-se tanto dinheiro em campanhas para utilização de preservativos, distribuem-se à entrada dos festivais de Verão, porque não se há-de disponibilizá-los nas escolas, que é onde estão os jovens?”, questiona. Não o fazer, sublinha, “é uma grande ingenuidade, porque os jovens dificilmente se deslocam a um centro de saúde para ir buscá-los”. 

Apesar de não abdicar deste ponto da lei “para não a tornar coxa”, Duarte Cordeiro admite que seja revista a redacção de forma a que, “no limite”, a distribuição de preservativos seja feita apenas por profissionais de saúde na sequência de uma consulta feita no gabinete de apoio. É a cedência possível face às críticas que tanto se têm feito ouvir no interior do grupo parlamentar do PS, onde o assunto foi discutido largamente, primeiro na reunião semanal, depois numa reunião específica, que durou várias horas e acabou inconclusiva.

Pedro Nuno Santos, o membro da direcção da bancada “rosa” que coordenou o grupo de trabalho autor da lei e agora tenta encontrar uma solução interna o mais consensual possível, preferiu ontem remeter-se ao silêncio, deixando apenas perceber que está confiante num final feliz. Mas o assunto é tudo menos pacífico entre os deputados socialistas. 

“Uma coisa é a educação sexual enquanto matéria a ser leccionada nas escolas, outra muito diferente é a distribuição de contraceptivos”, defende Maria de Belém Roseira, considerando que tal pode promover relacionamentos não desejados. Para a presidente da comissão de Saúde, a disponibilização de preservativos pode acabar por “induzir as jovens a comportamentos que não querem nem pretendem”, considerando que “não é a escola que deve tratar disso, mas os centros de saúde”. 

Duarte Cordeiro acaba por ir ao encontro desta preocupação, mas não deixa de lamentar a polémica que o assunto está a levantar dentro da bancada do seu partido: “Há uma grande dimensão de conservadorismo que não se coaduna com a realidade dos jovens.”

Ontem, após uma reunião da bancada parlamentar socialista, o líder Alberto Martins disse que este é um tema "muito sensível" que está ainda a ser discutido, salientando que o PS não quer "enveredar por soluções de facilitismo, mas por soluções de responsabilidade". A controvérsia continua quarta-feira, quando o diploma voltar a ser discutido na especialidade.



CDS-PP quer impedir distribuição de preservativos

Já o líder parlamentar do CDS-PP apelou hoje aos deputados para que aprovem uma proposta dos democratas-cristãos que visa impedir a distribuição de preservativos nas escolas ao abrigo da lei da educação sexual. 

Em declarações à agência Lusa, Diogo Feyo afirmou que "é muito pouco acertado, é um grande equívoco, que na lei da educação sexual se tratem de matérias que não têm nada a ver". Para o CDS-PP, "misturar uma questão de saúde pública com uma questão de educação e distribuir preservativos nas escolas" é um erro: "À escola o que é da escola, aos centros de saúde o que é dos centros de saúde e aos hospitais o que é dos hospitais", disse o líder parlamentar. 

"Os alunos estão na escola para aprender e isso não passa pela distribuição de preservativos", argumentou Feyo, acrescentando que optar por aí é "uma lógica ideológica pré-eleitoral do PS".

O CDS apresentou na Comissão Parlamentar de Educação uma proposta para retirar a questão da distribuição de preservativos nas escolas do projecto de lei que estabelece a aplicação da educação sexual nas escolas que está a ser debatido no Parlamento. Diogo Feyo apela "a todos os partidos, especialmente à maioria do PS, em que existem diferentes opiniões", para aprovarem a proposta do CDS.

Lusa

terça-feira, 26 de maio de 2009

OFF-TOPIC - ALEXANDRA, UMA ONDA DE SOLIDARIEDADE

TV russa mostra Alexandra a levar umas palmadas
Imagens de um programa do canal de televisão russo NTV mostram Natália, a mãe da menina russa que conseguiu reaver a filha através dos tribunais portugueses, a criticar a "educação mimada portuguesa". As últimas cenas da reportagem mostram Alexandra a apanhar umas palmadas e a fazer uma birra.


Veja o Vídeo aqui:



Assine a petição aqui:

segunda-feira, 25 de maio de 2009

Pais querem aluno expulso

Os pais dos alunos da Escola Básica Nº 1 das Paivas, no Seixal, preparam um abaixo-assinado contra a violência levada a cabo por um aluno, de dez anos, que está suspenso. Perante as sucessivas ameaças e agressões a professores, colegas e funcionários, os encarregados de educação pretendem que ‘Miguel’ seja retirado da escola, de forma a atenuar o clima de pânico que se vive.

"Ele agarrou-se ao pescoço do meu filho, começou a abaná-lo e a dizer que ele [Ricardo] tinha de lutar com ele. O Ricardo, apesar de só ter nove anos, é grande, mas começou a chorar. O outro bateu-lhe e mandou-o ir ter com a mamã", relatou Débora Maria, considerando que ‘Miguel’ devia ser retirado da escola.

Além deste episódio, "já ameaçou levar uma pistola para as instalações, agarrou o pescoço a uma professora e bate constantemente nos outros alunos", conforme confidenciou a mãe de outra criança, mantendo o anonimato com medo de represálias: "Ele vive no bairro da Jamaica onde há alguns problemas".

‘Miguel’ não é caso único na escola: "No início do ano lectivo houve outro aluno, de sete anos, que andava a bater nos colegas", conta outra mãe.

A Comissão de Protecção de Crianças e Jovens do Seixal identificou o caso em 2003 e arquivou-o em 2005, tendo encaminhado o processo para o Ministério Público. Em breve serão aplicadas medidas de protecção à criança.

André Pereira

sábado, 23 de maio de 2009

Mais de dois crimes de violência escolar por semana

A Procuradoria-Geral Distrital de Lisboa registou 31 casos de violência em meio escolar nos primeiros três meses do ano (mais de dois por semana) e 2506 casos de violência doméstica, revela um documento divulgado hoje onde se faz a análise da actividade investigatória do Ministério Público neste distrito judicial.

Desde o início do seu mandato que o procurador-geral da República, Pinto Monteiro, defendeu como prioridades o combate à violência em meio escolar e hospitalar e à violência contra as populações mais frágeis, como as crianças e os idosos, tendo mesmo dado instruções às procuradorias distritais para pedir às escolas e às autarquias para denunciar situações susceptíveis de ser crime de natureza pública.

A Lei de Política Criminal determina, aliás, que entre os crimes de investigação prioritária estão o homicídio ou ofensa à integridade física de professores e médicos e os crimes de violência doméstica. 

Um balanço divulgado em Agosto do ano passado revelava que o Ministério Público tinha registado só nos primeiros seis meses de 2008 um total de 57 casos de violência escolar, à média de dois por semana. Este ano, com 31 casos contabilizados em apenas três meses, a média não melhorou. Pelo contrário. 

São ainda referidos seis casos de violência contra profissionais de saúde (tantos quantos no primeiro semestre do ano passado), 18 casos de violência contra idosos e 75 casos de violência contra crianças (25 em Lisboa).

O distrito judicial de Lisboa abrange os Círculos e Comarcas de Almada, Angra do Heroísmo, Barreiro, Caldas da Rainha, Cascais, Funchal, Lisboa, Loures, Oeiras, Ponta Delgada, Sintra, Torres Vedras e Vila França de Xira. E foi neste distrito judicial que se registaram também, em três meses, 987 crimes de droga (455 atribuídos a Lisboa), 88 crimes de corrupção e afins, 205 crimes contra a liberdade e autodeterminação sexual de menores, 127 crimes de coacção e resistência sobre funcionário e 2248 de condução sem habilitação legal, sob efeito de álcool ou outras infracções rodoviárias.

Em termos de violência em comunidade escolar, Barreiro e Lisboa, ambos com sete casos, figuram na dianteira, seguidos de Almada e Angra do Heroísmo, ambos com três casos. Funchal (dois casos) e Vila Franca de Xira (1) completam o quadro.

O documento assinado pela procuradora-geral distrital Francisca Van Dunem, e divulgado no site www.pgdlisboa.pt, revela que foram iniciados no distrito 54.055 novos inquéritos no total – mais 4881 do que no mesmo período do ano passado. A maioria são relacionados com crimes contra o património: 31.072 (57 por cento do total). Nos primeiros três meses de 2008 tinham sido iniciados 27.284 inquéritos do mesmo tipo. 

Por outro lado, nota a procuradora-geral, o número total de processos que chegaram ao fim aumentou em relação ao período homólogo.

Lusa

sexta-feira, 22 de maio de 2009

Modernização do parque escolar envolverá 200 escolas secundárias até ao final do ano

A ministra da Educação disse hoje que espera entrar em 2010 com cerca de 200 escolas secundárias, de um total de 350 em projecto, a serem intervencionadas no âmbito do Programa de Modernização do Parque Escolar.

Maria de Lurdes Rodrigues falava em Lisboa na cerimónia de assinatura dos contratos referentes aos primeiros dois concursos da Fase 2 daquele programa, cujos objectivos foram revistos para permitir a antecipação do início das obras das 75 escolas envolvidas e o lançamento imediato da Fase 3, com a selecção de mais 100 escolas a ser alvo de intervenção. 

Os contratos hoje assinados dizem respeito a seis dessas 75 escolas, um total que se junta às quatro escolas já concluídas, às 26 em obra e às 100 que já iniciaram a fase de elaboração do projecto, para perfazer as cerca de duas centenas referidas pela ministra como estando em intervenção até ao final de 2009. 

A responsável pela pasta da Educação sublinhou que estas obras são “muito exigentes” tanto para os professores, como para os órgãos de gestão das escolas, alunos e pais, mas, na sua perspectiva, “a primeira exigência é que toda a intervenção se realize não apenas com o envolvimento da escola, mas com esta em funcionamento”. 

A ministra assinalou, igualmente, que a antecipação do programa visa também responder à crise económica e combater o desemprego, na medida em que “junta o objectivo de preparar melhor as escolas ao de sustentar as dinâmicas locais económicas e de emprego para que o país possa enfrentar o problema da crise de uma outra forma”. 

A cerimónia de assinatura dos contratos, em que participou também o primeiro-ministro, José Sócrates, decorreu na Escola D. Filipa de Lencastre, que está a ser alvo de uma intervenção arquitectónica de fundo, da autoria de João Paulo Revez Conceição. A comitiva tinha visitado antes a Escola Pedro Nunes, igualmente em obras ao abrigo da Fase 1 do Programa de Modernização do Parque Escolar. 

A Fase 1, envolvendo 26 escolas, tem um investimento associado de 330 milhões de euros, a Fase 2, que abrange 75 escolas, orça em 860 milhões de euros, e a Fase 3, com 100 escolas, situa-se em 1,2 milhões de euros. 

Lusa

quinta-feira, 21 de maio de 2009

9º Encontro Nacional De Química Física e 1st Iberian Meeting on Ionic Liquids

Está, desde o início do mês, disponível o registo e a submissão de resumos para o 9º ENQF e 1st IMIL que terão lugar em Aveiro nos dias 15 e 16 de Junho de 2009. Podem para o efeito aceder à página do 9º ENQF
http://path.web.ua.pt/9ENQF/index.asp?page=abstracts
A data limite de recepção de resumos é o dia 28 de Fevereiro.

As comunicações apresentadas no 9º ENQF poderão ser publicadas em números especiais do:
Journal of Chemical and Engineering Data
Journal of Molecular Structure: THEOCHEM 

O 9º ENQF vai este ano estruturar-se em torno de duas grandes áreas temáticas multidisciplinares: Química Computacional e Líquidos Iónicos. Contamos com a presença de alguns investigadores nacionais e internacionais de renome nestas áreas como:
Química Computacional
Francesc Illas Riera (Barcelona, Espanha)
Benedito Costa Cabral (Lisboa)
Pedro Alexandrino Fernandes (Porto)
João Prates Ramalho (Évora)
Pedro caridade (Coimbra)
Líquidos Iónicos
Robin Rogers (Quill, Belfast, UK)
Andrew P. Abbott (Leicester, UK)
J. Troncoso (Vigo)
J.N. Canongia Lopes (ITQB)
Carlos M. Afonso (IST)
José O. Valderrama (La Serena, Chile)

Espero que toda a comunidade da Química-Física portuguesa se possa juntar a nós em Aveiro para o que promete ser um excitante encontro científico.

J. Coutinho
Presidente da Divisão de Química-Física


outras informações: http://path.web.ua.pt/9enqf

quarta-feira, 20 de maio de 2009

Para rir um pouco ...

*José Sócrates visita a Inglaterra e vai jantar com a rainha.* 
Às tantas, pergunta: 
- Vossa majestade, a senhora impressiona-me. Como pode estar sempre  cercada de gente inteligente? Como é que a senhora faz? 
Ela responde: 
- É muito simples. Eu deixo-os sempre em alerta. Faço um teste de QI  regularmente, só para ver se a inteligência deles ainda está bem viva. 
Sócrates, surpreendido: 
- E como é que a senhora faz isso? 
A rainha concorda em mostrar um exemplo. Pega no telefone e liga ao Tony  Blair: 
- Bom dia, Tony. Tenho um pequeno teste para ti... 
Tony, todo educado: 
- Bom dia, Majestade. Tudo bem. Estou pronto para o teste. Pode perguntar. 
- Muito bem, Tony. O teste é o seguinte: 
'É filho do teu pai e da tua mãe, mas não é teu irmão nem tua irmã. Quem é?' 
- Muito simples, Majestade. Sou eu mesmo... 
- Bravo, Tony. Como sempre, inteligente. Até à próxima. 
Sócrates fica impressionadíssimo. De volta a Portugal, decide pôr em  prática a técnica que aprendeu com a rainha. 
Telefona à ministra da educação Maria de Lurdes Rodrigues e pergunta: 
- Maria, é o Sócrates, companheira. Tenho aqui um pequeno teste de  inteligência para ti. 
- Tudo bem, pergunta. 
- É o seguinte: é filho da tua mãe e do teu pai, mas não é teu irmão nem  tua irmã. Quem é? 
- Ah, Sócrates, eu não esperava um teste assim, de repente. Tenho que  pensar alguns minutos. Telefono-te depois, ok? 
- Sem problemas. Até logo. 
Ela de seguida liga para o Cavaco Silva, já que ele tem fama de inteligente. 
Faz a mesma pergunta que lhe foi feita, ao que o Cavaco responde: 
- Ora bolas Maria, sou eu mesmo, como é óbvio!... 
- Muito bem, perfeito, Cavaco! Obrigado. 
E volta a ligar ao Sócrates: 
- Sócrates, podes repetir a tua pergunta, por favor? Creio que tenho a  resposta. 
- Muito bem: é filho da tua mãe e do teu pai, mas não é teu irmão nem  tua irmã. Quem é? 
E a ministra da educação, vitoriosa: 
- Simples!!! Ora bolas, é o Cavaco Silva!!! 
- Não, estúpida!!! Tens que treinar mais!!! É o Tony Blair!!! *

ESCOLA DE VERÃO DE MATEMÁTICA 2009

Universidade dos Açores

Sociedade Portuguesa de Matemática

Ponta Delgada - 7 a 12 de Setembro



Esta Escola tem por objectivo divulgar novos meios de descoberta da cultura e do conhecimento matemáticos, assim como dar formação específica em certas áreas da Matemática.



Destina-se a professores do 1º ciclo do Ensino Básico, a professores de Matemática do 2º e 3º ciclos do ensino básico e do secundário, professores e assistentes universitários, estudantes e a todos os que gostam de Matemática e com ela trabalham.



Este evento está organizado em conferência plenárias, cursos de formação, mesa redonda, exposições e lançamento de livros.

As conferências decorrem nos dias 7 e 8 e os cursos nos dias 9, 10, 11 e na manhã de 12 de Setembro, na Universidade dos Açores.



As conferências são de âmbito geral, promovendo a divulgação do conhecimento matemático, estando cada uma delas associada a um curso de formação, creditado pelo Conselho Científico - Pedagógico da Formação Continua.



Existem duas modalidades de participação no evento:

Conferências - 7, 8 de Setembro.

Conferências e Curso - 7 a 12 de Setembro.

Alunos consideram professora suspensa de escola de Espinho como "a mais espectacular"

Dezenas de alunos da Escola EB 2/3 Sá Couto de Espinho descrevem a docente, que foi suspensa devido à acusação de manter conversas impróprias nas aulas, como "a professora mais espectacular na escola".

Estudantes do 7.º ao 9.º ano - aos quais a referida docente Joaquina Rocha lecciona as disciplinas de História ou Cidadania do Mundo Actual - afirmam que ela sempre se revelou preocupada com os problemas pessoais dos seus alunos. "Mas sem deixar de dar a matéria das aulas", asseguram.

Samir Nica, 19 anos, diz que ela "é uma professora espectacular. Dá as aulas, mas também se preocupa com o que a gente anda a fazer lá fora. É a nossa segunda mãe aqui na escola". "Quando eu tinha algum problema, era com ela que ia falar e ela ajudou-me sempre", acrescenta o jovem. 

"Sempre foi muito correcta. Não tenho nada que lhe possa apontar", disse. Samir dá um exemplo da atitude pela qual diz "admirar" a docente: "Eu mudo muito de namorada e a professora Joaquina sempre me disse que isso não estava bem e que eu devia ter cuidado". 

Ricardo Joel Familiar, do 8.º ano, é outro aluno que garante que "ela é a professora mais espectacular da escola". 

Carlos Santos, 18 anos, também defende Joaquina Rocha: "Ela é muito boa professora e sempre a ouvi dar bons conselhos ao pessoal". 

Sobre a gravação da conversa em que a docente se terá referido à alegada actividade sexual de duas alunas, em termos que os pais das mesmas consideram impróprios, tanto Samir, como Carlos e outros jovens dizem que "aquilo foi tudo arranjado". 

Ricardo Joel Familiar assegura que "as alunas já fizeram aquilo de propósito e provocaram a conversa toda porque sabiam que estavam a gravar". Daniel Ferreira considera, aliás, que "a professora não disse nada de mais. Foi é muito provocada para chegar àquele ponto". 

Outro aluno, que preferiu não ser identificado, tem a mesma opinião, mas acrescenta: "Isto só chegou ao ponto em que está porque a nossa directora de turma nunca gostou dessa professora e, como também é directora dessa turma [em que se deram os incidentes], aproveitou para fazer disto um grande caso". 

"Se tivesse sido com outra professora qualquer", continua o mesmo estudante, "não tinha havido nada disto". 

Rui Silva realça ainda que "ninguém tem razões de queixa da professora a não ser esse 7.º ano. E nem é a turma toda! São só as duas alunas que arranjaram este barulho todo". Essas estudantes, dizem, já teriam reclamado de Joaquina Rocha à directora de turma. Lusa
 

terça-feira, 19 de maio de 2009

Listas Provisórias


EDUCAÇÃO PRÉ-ESCOLAR
100 - Educação Pré-Escolar
1º CICLO DO ENSINO BÁSICO
110 - 1º Ciclo do Ensino Básico
2º CICLO DO ENSINO BÁSICO
200 - Português e Estudos Sociais-História
210 - Português e Francês
220 - Português e Inglês
230 - Matemática e Ciências da Natureza
240 - Educação Visual Tecnológica
250 - Educação Musical
260 - Educação Física
290 - Educação Moral e Religiosa Católica
3º CICLO DO ENSINO BÁSICO
300 - Português
310 - Latim e Grego
320 - Francês
330 - Inglês
340 - Alemão
350 - Espanhol
400 - História
410 - Filosofia
420 - Geografia
430 - Economia e Contabilidade
500 - Matemática
510 - Fisica e Quimica
520 - Biologia e Geologia
530 - Educação Tecnológica
540 - Electrotecnia
550 - Informática
560 - Ciências Agro-Pecuárias
600 - Artes Visuais
610 - Música
620 - Educação Física
EDUCAÇÃO ESPECIAL
910 - Educação Especial 1
920 - Educação Especial 2
930 - Educação Especial 3
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...

Mensagens populares

Recomendamos