sábado, 11 de outubro de 2008

Professores e pais concordam com 100% de sucesso no 9º ano

O objectivo do Governo em atingir os 100% de sucesso no 9º ano é uma meta aplaudida pelas federações sindicais de educação e pelas confederações de pais, mas estas entidades falam em dificuldades e mostram-se preocupadas com a possibilidade de se cair no facilitismo.

De acordo com a ministra da Educação, Maria de Lurdes Rodrigues, um dos objectivos da tutela é alcançar, nos próximos anos, os 100% de aprovações no final do 9º ano de escolaridade.

Para o dirigente da Federação Nacional de Professores (Fenprof), Mário Nogueira, trata-se de uma ambição «partilhada por todos», mas frisou que a «ministra da Educação tem feito muito pouco para que isso aconteça».

Citado pela agência Lusa, o sindicalista explica que, «para ter esse sucesso, o ministério tem que ter nas escolas professores da educação especial para ajudar os alunos com dificuldades», tendo criticado, nesse sentido, a redução do número deste tipo de docentes.

O dirigente da Fenprof sugeriu, ainda, a existência de professores devidamente valorizados para se envolverem no combate ao insucesso escolar.

Já o presidente da Confederação Nacional das Associações de Pais (Confap), Albino Almeida, afirmou que é necessário alterar a cultura das escolas para ajudar os alunos com dificuldades.

Para Albino Almeida, «a escola tem de fazer o seu trabalho sem facilitismos», adiantando que a «escola pública só será de qualidade quando atingir os seus objectivos», nomeadamente 0% de abandono escolar e 100% de sucesso.

Por sua vez, o secretário-geral da Federação Nacional de Educação, João Dias da Silva, salientou que se pretende o sucesso de todos os alunos de todos os anos, desde que haja também aquisição de conhecimento.

Para o sindicalista, trata-se de «uma ambição legítima de todos os educadores, mas é preciso que este sucesso corresponda à efectiva aquisição de conhecimentos e competência que são essenciais para o nível de escolaridade que nos reportamos».

Por fim, o presidente da Confederação Nacional Independente de Pais, Joaquim Ribeiro, advertiu para o facto de poder haver «facilitismo» na execução desta meta.

«Duvidamos que isso aconteça de um ano para o outro, mas cá estaremos para dar o braço a torcer e dizer que a ministra da Educação tinha razão», afirmou.

Sem comentários:

Enviar um comentário

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...

Mensagens populares

Recomendamos