sábado, 5 de julho de 2008

Agressões investigadas


O Ministério Público (MP) está a investigar o caso de uma professora de Inglês da Escola EB 1/2/3 de Góis acusada pela mãe de duas alunas de as agredir, puxando-lhes os cabelos e ameaçando-as com uma colher de pau.




O inquérito foi instaurado na sequência de denúncias feitas em Março deste ano, altura em que ocorreram as alegadas agressões. A investigação, dirigida pelo MP do Tribunal de Arganil, ainda está a decorrer, faltando ouvir algumas testemunhas.

As duas irmãs, de dez anos, frequentam o 4º ano. A mãe, Margarida Carvalho, trabalha na Suíça, estando as meninas entregues ao cuidado de uma tia. Foram as filhas que lhe telefonaram a dizer que a professora lhes "puxou os cabelos" e levou uma delas para a casa de banho, onde a ameaçou de bater-lhe "com a colher de pau". Margarida Carvalho ficou "tão revoltada" que chegou a telefonar à GNR.

A tia e encarregada de educação das meninas, Dulce Barbosa, que ontem recusou prestar declarações por o caso estar em segredo de justiça, também contestava na altura os métodos usados pela docente. O MP está a apurar se houve crime, podendo acusar a professora, de cerca de 40 anos, ou arquivar o processo. Em caso de acusação, estará em causa um crime de maus tratos a menor, punido com pena até cinco anos de prisão.

PORMENORES

RISCO NO QUADRO

Segundo Margarida Carvalho, a professora "tinha por hábito fazer um risco no quadro à frente do nome de cada aluno que se portava mal. Quando chegava a determinado número, levava-os para a casa de banho, onde os trancava e agredia física e psicologicamente".

SEM QUEIXAS

O presidente do conselho executivo, José de Albuquerque, admitiu na ocasião que "aconteceu alguma coisa que não deveria ter acontecido mas não terá a dimensão que lhe estão a querer dar", adiantando que não havia queixas em relação à docente. Ontem não esteve na escola.



CM

Sem comentários:

Enviar um comentário

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...

Mensagens populares

Recomendamos