terça-feira, 29 de abril de 2008

Professores afastam greve até final do ano

Os sindicatos de professores garantem que não vão recorrer à greve para se manifestarem contra as politicas educativas do Governo de José Socrates, assegurando desta forma a tranquilidade necessária para a recta final do ano lectivo 2007/2008.


Mário Nogueira, secretário-geral da Fenprof, explicou ontem à noite, junto à sede do Ministério da Educação, em Lisboa, na terceira segunda-feira de protesto, que as acções de luta a serem levadas a cabo até ao final do ano são as que emanaram da Marcha da Indignação, na qual marcaram presença mais de 100 mil professores.

"Chegámos a uma situação de acordo para que o ano lectivo terminasse em tranquilidade. Isto não significa que mudámos de opinião em relação às politicas da senhora ministra, que são péssimas e que continuamos a achar que são péssimas", afirmou Mário Nogueira, garantindo a inexistência de uma greve até ao final deste ano lectivo: "Se existir uma greve geral da função pública, claro que os professores irão participar. Mas greve contra as medidas educativas do Governo não iremos fazer."

Na manifestação de ontem à noite, alimentada a frango e bifanas, com banda sonora de Sérgio Godinho, cerca de 150 professores voltaram a lembrar o problema das gestão das escolas, com cartazes a exigirem mais democracia. Em causa, como explicou Mário Nogueira, está a figura do ‘senhor director’ como entidade que irá decidir o rumo dos estabelecimentos de ensino, contra o modelo actual dos conselhos executivos.

"Esta questão da gestão escolar deveria colocar na rua mais de 150 mil professores. Não aceitamos o regresso do ‘senhor director’. O modelo de gestão que querem aplicar põe em causa a autonomia das próprias escolas", sublinhou Mário Nogueira, apelando à mobilização de todos os intevenientes: "Seria positivo que as escolas não facilitassem este modelo de gestão não democrático."

UM PROCESSO ATRIBULADO

Ministra

A ministra da Educação, Maria de Lurdes Rodrigues, admitiu ontem, em entrevista ao Rádio Clube Português, que José Sócrates e Carvalho da Silva participaram no processo negocial com os sindicatos dos professores sobre a avaliação.

Aprovado

OConselho de Ministros já aprovou o Decreto Regulamentar que define o regime transitório de avaliação de desempenho dos professores até ao ano escolar de 2008/2009. Odiploma deve ser publicado em Diário da República esta semana.

Contratados

Oregime simplificado clarifica, entre outras situações, a avaliação dos docentes contratados por menos de quatro meses, dos coordenadores de departamento curricular e dos membros das direcções executivas, no 1º ciclo de avaliação.

Sem comentários:

Enviar um comentário

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...

Mensagens populares

Recomendamos