domingo, 27 de abril de 2008

Portugueses aplaudem acordo



Mais de metade dos portugueses considera positivo o acordo obtido entre os sindicatos de professores e o Ministério da Educação.


Na sondagem CM/Aximage, 57,1 por cento dos inquiridos aplaude o ‘Memorando de Entendimento’ relativo à avaliação dos professores, enquanto 14,1 por cento o considera negativo. Mais de um quinto dos inquiridos não tem opinião.

Curiosamente, são os eleitores do PS e do CDS/PP aqueles que mais consideram positivo o acordo. Pelo contrário, 28,6 por cento dos eleitores comunistas considera negativo o acordo, o que contraria a posição oficial do PCP, que na Comissão de Educação saudou a ministra pelo entendimento obtido na madrugada de 12 de Abril.

Do total de inquiridos, são os homens que têm melhor opinião sobre o entendimento – 65,7 por cento dos homens diz que é positivo, enquanto apenas 49,5 por cento das mulheres partilha dessa opinião.

No campo do efeito político do entendimento entre professores e Governo, as opiniões são mais equilibradas: 38,3 por cento dos inquiridos considera que foi o Ministério de Maria de Lurdes Rodrigues aquele que recuou mais, enquanto 24 por cento diz que foram os sindicatos a ceder. Um quarto dos inquiridos não tem opinião e 12,5 por cento acredita que Governo e sindicatos recuaram por igual.

Quem votou no CDS/PP penaliza mais o Governo (60,2 por cento), enquanto os eleitores na CDU são os que mais penalizam os sindicatos: 27,3 por cento diz que foram as estruturas representativas de professores que recuaram. E são os eleitores entre 18 e 29 anos quem mais considera terem sido os sindicatos a recuar: 30,8 por cento.

PROTESTOS CONTINUAM

O ‘Memorando de Entendimento’, cujo conteúdo foi consagrado num novo decreto-regulamentar aprovado quinta-feira pelo Conselho de Ministros, não foi suficiente para parar os protestos das segundas-feiras por parte dos sindicatos de professores.

Para depois de amanhã, está agendado um protesto em frente ao Ministério da Educação, em Lisboa, a partir das 21 horas.

Segundo o entendimento entre professores e Governo, o regime simplificado de avaliação a aplicar este ano lectivo a sete mil professores terá em conta apenas quatro critérios: ficha de auto-avaliação, assiduidade, cumprimento do serviço distribuído e participação em acções de formação contínua.

AVALIAÇÃO DO EFEITO POLÍTICO DO ACORDO



Neste acordo entre os Sindicatos dos Professores e o Ministério da Educação quem é que recuou mais?



O MINISTÉRIO: 38,3%

OS SINDICATOS: 24%

AMBOS RECUARAM POR IGUAL: 12,5%

SEM OPINIÃO: 25,2%



Para o Ensino, o acordo obtido é:

POSITIVO: 57,1%

NEM POSITIVO, NEM NEGATIVO: 5,9%

NEGATIVO: 14,1%

SEM OPINIÃO: 22,9%

Ficha Técnica: Objectivo: Avaliação do acordo e avaliação do efeito político do acordo entre Sindicatos e Min. Educação UNIVERSO Indivíduos inscritos nos cadernos eleitorais em Portugal, com telefone fixo no lar ou possuidor de telemóvel. AMOSTRA Aleatória estratificada por região, habitat, sexo, idade, escolaridade, actividade e voto legislativo e representativa do universo, com 502 entrevistas efectivas (273 a mulheres) COMPOSIÇÃO Proporcional pela variável estratificação RESPOSTAS Taxa de resposta de 72,6 por cento. Desvio padrão máximo de 0,022. REALIZAÇÃO 15 e 17 de Abril, para o Correio da Manhã pela Aximage, com a direcção técnica de Jorge de Sá e João Queiroz. CM

Sem comentários:

Enviar um comentário

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...

Mensagens populares

Recomendamos